Copywriting: domine a arte das vendas

Marketing Digital

“Se você não gosta do que estão dizendo, mude a conversa”

 

Caso você seja novo no mundo do copywriting, não se preocupe. Aperte os cintos e segure firme, porque ao fim desse artigo você nunca mais entenderá o mundo das vendas da mesma maneira.

 

O copywriting é a arte, pode ser chamada dessa maneira, de convencer o leitor a realizar uma determinada ação, pode ser a comprar um produto ou a realização de um cadastro, por exemplo.

 

As estratégias para alcançar esse objetivo irão variar de acordo com com o contexto e o objetivo de cada copy. Para determinadas situações, uma comunicação mais direta é suficiente, em outras será necessário provocar sensações nos clientes e trazer problemas que precisam de soluções.

 

Como toda a arte, o copywriting também possui uma ampla variedade de técnicas que dão sustentação para esse uso estratégico das palavras.

 

Ficou interessado pelo tema? Fique com a gente até o final desse conteúdo para conhecer mais sobre essa técnica, saber quais características um profissional da área precisa ter e como você pode se tornar um. Vamos lá!

O que é copywriting?

O objetivo principal do copywriting é conduzir os usuários a tomar ações específicas, idealmente gerando conversões e também criando experiências relevantes para a audiência.

 

Usualmente, um copy possui três missões ao ser estruturado principais:

  • Ser preciso;
  • Ser efetivo;
  • Oferecer soluções criativas para os problemas.

 

As qualidades, benefícios oferecidos e o preço são os aspectos definidores para se um consumidor irá ou não adquirir o produto ou serviço que você está oferecendo. O copy é uma forma de comunicar essas qualidade de uma forma que traga valor aos potenciais clientes.

Copywriting e marketing de conteúdo, iguais ou diferentes?

A verdade é que as estratégias de copywriting e marketing de conteúdo são complementares. Isso porque ambas possuem objetivos diferentes.

 

Enquanto o marketing de conteúdo é menos interessado diretamente em vendas, possuindo outros focos como o educativo, entretenimento e construção de consciência de marca.

 

Enquanto isso, o copywriting tem como função induzir o leitor a realizar uma ação mais direta. Em outras palavras, fazer com que ele conclua a ação que você deseja.

Quais são as principais técnicas de copywriting?

A palavra-chave para qualquer estratégia de copy é a seguinte: persuasão. Apesar de possuir pontos de contato com outras técnicas de escrita, como textos jornalísticos, contos e dissertações, o copywriting possui regras e propostas diferentes.

 

Ao contar uma história com o objetivo de despertar no seu cliente, certamente você terá sucesso se usar a mesma narrativa de um romance envolvente. Porém, no fim do dia, seu objetivo é vender e você deve ter sempre isso em vista. 

 

Veja abaixo algumas das principais técnicas de copywriting e porque você deve utilizá-las em seu texto.

Crie títulos atraentes

O primeiro contato que o cliente tem com seu texto é pelo título. Justamente por isso, ele é um dos principais elementos considerados pelos motores de busca.

Existem diversos tipos de título, a escolha da melhor técnica dependerá da proposta do conteúdo, da própria área de atuação da empresa e do tipo de linguagem escolhido para comunicação.

Você pode sugerir uma pergunta, fazer uma provocação ou uma chamada mais direta. O fundamental é seguir as boas práticas: seja direto, use a palavra-chave no título e não ultrapasse os 55 caracteres, assim seu título aparecerá completo no rankeamento dos motores de busca.

Conte uma história

“As histórias são a forma primordial de comunicação”. Crie uma narrativa que criem emoções, geram identificação e use as sensações provocadas no leitor para conduzi-lo.

A grande vantagem dessa técnica é seu caráter persuasivo por natureza. O leitor é condicionado a seguir no conteúdo até atingir a conclusão da narrativa.

Facilite e dê ritmo à leitura

Consumir o conteúdo precisa ser uma experiência agradável. Por isso, pense em textos mais fluidos e fáceis de ler. Use parágrafos curtos, no máximo 5 ou 6 linhas, dessa forma o leitor tem espaço para respirar e absorver as ideias.

 

Além disso, o texto alinhado à esquerda contribui para a escalabilidade e condução do olhar do leitor durante o conteúdo. Uso subtítulos para dividir seu texto, não ultrapassando os cinco parágrafos.

Fale a língua do seu cliente

Um dos princípios do copywriting é escrever da forma que você fala. Caso você realmente queira se conectar com os leitores, fale da forma como eles falam. Isso inclui o tom de voz, os termos e gírias.

É importante que isso seja feito de forma natural e esteja estruturado dentro da sua estratégia de comunicação. Tentar forçar essa intimidade é potencialmente mais prejudicial do que apenas se comunicar de maneira formal.

Use gatilhos

No total, são 30 gatilhos e cada um mereceria um artigo próprio. Como o próprio já diz, eles acionam sentimentos e sensações com o objetivo de influenciar, motivar e persuadir o cliente em potencial.

Esses mecanismos quase inconscientes possuem o poder de transmitir confiança e despertar sentimentos positivos nos clientes, superando assim eventuais objeções que eles possuam. Configura algum dos principais gatilhos que podem ser utilizados em copy e vendas:

  • Reciprocidade: gere valor e seu cliente retribuirá. Quando alguém nos dá algo, inconscientemente sentimos a obrigação de retribuir essa boa ação.
  • Compromisso e coerência: esse é gatilho se baseia em nosso desejo inato de demonstrar coerência em nossas ideias e atitudes. Essa característica socialmente é bastante valorizada e nos influencia na tomada de decisão.
  • Prova social: é da natureza humana observarmos o que outras pessoas estão fazendo para tomarmos nossas decisões. Inconscientemente buscamos aprovação social e fazer parte de um grupo. Esse gatilho pode explorar cases de sucesso ou depoimentos de clientes, por exemplo.
  • Afeição: quanto mais próxima for sua relação com o alguém, maiores são as chances maior será a receptividade às suas propostas ou ofertas. A afeição por ser construída por técnicas como a construção de relacionamento com clientes, storytelling e o rapport.
  • Autoridade: temos a tendência a obedecer orientações ou comandos quando nos identificamos em frente a alguém em posição de autoridade. Dessa forma, construir a imagem de autoridade dentro da área de atuação. Isso vale tanto para perfis pessoais quanto para a imagem de uma empresa.
  • Escassez: chamadas como “Vagas limitadas!” ou “Enquanto durarem os estoques!”, utilizam esse gatilho que incita nas pessoas a sensação de perda. O medo de ficar sem determinado produto ou serviço serve como catalisador para a realização da compra.

Resolva problemas

Quando se trata lida com cliente é importante saber se colocar no lugar dele.

O consumidor está lá para solucionar um problema e a sua resposta para essa questão precisa estar na solução do copy.

É necessário deixar claro na estratégia de copy as soluções que você possui para essa dor, como é chamada, que o cliente deseja solucionar.

Ao falar dos problemas, cria-se um uma identificação com a pessoa, que sente que não está sozinho nessa jornada. Com essa conexão estabelecida, abre-se a oportunidade para oferecer seu produto como solução.

 

Gostou do conteúdo sobre copywriting? Entendeu sua importância para suas estratégias de marketing digital?

 

Fale pra gente sobre suas experiências! Deixe nos comentários suas experiências usando essa técnica. Será de grande ajuda para outros profissionais.