SEO para e-commerce: O Guia Definitivo

Marketing Digital Marketing Organico SEO

Este é o guia mais completo de SEO para e-commerce.

Nele, você encontrará dicas de especialistas e aprenderá tudo sobre como otimizar seu e-commerce, desde pesquisas de palavras-chave até SEO técnico e link building.

Este guia foi feito para você que deseja aumentar o tráfego e as vendas por meio do tráfego orgânico. Confira o artigo e aprenda como o SEO para e-commerce pode ajudar seu site!

POR QUE O SEO É IMPORTANTE PARA E-COMMERCE?

Vamos começar com algumas estatísticas interessantes:

  • Segundo a N Channel, 44% das pessoas começam sua jornada de compras online com uma pesquisa no Google;
  • Um estudo da SEMrush mostrou que 37,5% de todo o tráfego para e-commerces vem dos mecanismos de busca;
  • Já o Business Insider revelou que 23,6% dos pedidos de comércio eletrônico estão diretamente vinculados ao tráfego orgânico.

Com isso em mente, é hora de mergulhar nas estratégias para aumentar o tráfego orgânico em e-commerces por meio de uma boa estratégia de SEO.

CAPÍTULO 1: Pesquisa de palavras-chave para e-commerce

A pesquisa de palavras-chave é a base de todas as estratégias voltadas para melhorar o rankeamento de um e-commerce. Isso porque essa pesquisa guia todas as outras tarefas relacionadas ao SEO a serem realizadas no site. Para exemplificar, basta pensar que é impossível otimizar suas páginas de produto sem definir as palavras-chave para cada uma delas.

Além disso, talvez você não saiba, mas sua lista de palavras-chave também influencia em seu SEO técnico. Isso ocorre porque a arquitetura e as URLs do seu site precisam levar as palavras-chave em consideração.

Como você pode ver, a pesquisa de palavras-chave é MUITO importante para o comércio eletrônico.

E aqui, vamos mostrar exatamente como encontrar termos inexplorados que seus clientes pesquisam e como escolher as melhores palavras-chave para o seu site a partir disso.

COMO ENCONTRAR PALAVRAS-CHAVE PARA PÁGINAS DE PRODUTOS E CATEGORIAS DE E-COMMERCE?

A maioria dos tutoriais sobre pesquisa de palavras-chave se concentra em termos informativos, que são aquelas perguntas que as pessoas fazem nos mecanismos de busca sobre “como fazer”, por exemplo, “como fazer café?”.

E, embora as palavras-chave informativas tenham seu lugar no e-commerce, a maioria das palavras-chave do seu site será adaptada para pesquisas de produtos, tais como “filtros de café Chemex”.

Isso significa que você precisa iniciar sua pesquisa com palavras-chave voltadas para o produto comercializado. Veja exatamente como fazer isso.

Amazon Suggest

É bem provável que a Amazon seja sua concorrente. Porém, devido ao tamanho do seu e-commerce, ela se torna uma mina de ouro para encontrar as melhores palavras-chave para o seu produto.

Veja como acessar a Amazon para fazer suas pesquisas de palavras-chave:

  1. Primeiro, vá para a Amazon e digite uma palavra-chave que descreve um de seus produtos;
  2. Quando você fizer isso, a Amazon listará sugestões em torno dessa palavra-chave, basta você anotá-las para utilizar como base da sua estratégia;
  3. Foque nas palavras de cauda longa: normalmente, as palavras que a Amazon sugere tendem a ser bastante específicas e alinhadas à intenção por trás da busca do usuário (as famosas palavras-chave de cauda longa). Esse tipo de palavra é benéfico para sua estratégia porque tende a converter melhor do que temos mais curtos, além de serem menos competitivas;
  4. Por fim, repita esse processo para os produtos mais importantes do seu site;

Keyword Tool Dominator

O Keyword Tool Dominator é uma ótima ferramenta complementar que elimina as sugestões de busca da Amazon. Para usá-lo, basta inserir um termo na ferramenta para que, em seguida, ela lhe devolva dezenas de sugestões de palavras-chave.

O ponto positivo é que essa ferramenta facilita a localização de palavras-chave de cauda longa, se comparada com a Amazon Suggest, além de apresentar mais opções.

Por exemplo, ao buscar pelo termo “comida orgânica para cães”, a Amazon sugeriu 8 ideias de palavras-chave, enquanto a Keyword Tool Dominator trouxe 79. Mas nem por isso você precisa abandonar a busca por palavras-chave na Amazon, pois vamos apresentar outra sugestão infalível para descobrir quais termos incluir em sua página de categoria.

Categorias da Amazon e concorrentes

É comum que muitos proprietários de e-commerces otimizem suas páginas de categoria com palavras-chave aleatórias. Claro que existe algum insight por trás da escolha das categorias, mas quando se trata de palavras-chave, elas podem ter menos embasamento do que as escolhidas para os produtos em si.

Porém, isso é um erro que pode prejudicar os resultados do site. Afinal, embora as páginas de categoria podem não ter uma taxa de conversão tão alta quanto as páginas de produtos, ainda sim elas têm potencial de gerar vendas.

A melhor forma de encontrar boas palavras-chave para suas páginas de categoria é analisar quais termos estão sendo usados pelos seus concorrentes.

Por exemplo, se seus produtos competem com a Amazon, clique no botão “todos” no topo da página inicial do site e confira as principais categorias do site.

Provavelmente, eles são muito amplos para o seu site. Portanto, clique em qualquer um que faça sentido e analise as subcategorias deste departamento.

Feito isso, é hora de analisar a lista a fundo e encontrar palavras focadas nas categorias que correspondem ao seu negócio.

Por exemplo, digamos que o seu site vende comida saudável para cães. O ideal é que então você analise a categoria “Pet Shop”. Em seguida, clique em “cachorros” e escolha “rações” e a Amazon mostrará na barra lateral quais palavras-chave eles usam para descrever uma determinada categoria.

Todos esses termos são ótimos e podem ser considerados para o as palavras-chave de categoria em seu e-commerce.

Uma dica importante é avaliar se seu e-commerce tem alguma categoria exclusiva. Se a resposta for sim, você deve incluir esse recurso exclusivo em sua palavra-chave, fazendo com que esses termos tenham melhor competitividade na indexação.

A Amazon é um ótimo recurso para encontrar palavras-chave para as páginas de categoria, mas está longe de ser o único lugar onde você pode pesquisar.

Por isso, a recomendação é que você também analise quais palavras-chave seus concorrentes inserem nas páginas de categoria.

Wikipedia

A Wikipedia é um dos melhores lugares para encontrar palavras-chave para páginas de produtos e categorias. Isso porque, assim como as páginas de categoria nos sites concorrentes de comércio eletrônico, a Wikipedia organiza os conteúdos por palavras-chave e categorias. Em outras palavras: eles fizeram o trabalho árduo por você!

Vejamos um exemplo de como você pode usar a Wikipedia para pesquisa de palavras-chave de comércio eletrônico. Primeiro, insira uma palavra-chave que descreva um produto ou categoria que seu site vende. Em seguida, procure na entrada da Wikipedia palavras e frases que façam sentido para os produtos que você tem em seu site.

Certifique-se também de analisar a caixa de conteúdo. Às vezes, eles podem revelar excelentes palavras-chave da página da categoria.

Depois de esgotar as sugestões de palavras-chave da Wikipedia, é hora de passar para uma das ferramentas mais famosas para pesquisa de palavras-chave: SEMrush.

SEMrush

As estratégias que descrevemos até agora provavelmente já lhe ajudaram a obter uma lista robusta de ideias de palavras-chave, certo?

Porém, o SEMRush é um pouco diferente, já que ele mostra especificamente quais as palavras-chave nas quais sua concorrência já está classificada.

Vamos dar uma olhada em como você pode usar essa ferramenta para encontrar palavras-chave para o seu site de comércio eletrônico:

  • Primeiro, insira um concorrente no campo de pesquisa do SEMrush;
  • Em seguida, clique em “Pesquisa Orgânica” na barra lateral;
  • Em “Posições”, você pode ver todas as palavras-chave classificadas pelo seu concorrente;
  • Se você quiser espremer todas as palavras-chave do SEMrush, verifique o relatório de “concorrentes”;
  • Repita esse processo com os concorrentes que você acabou de encontrar.

Com isso, você terá palavras-chave suficientes para trabalhar por muito tempo!

Google Keyword Planner

Por último, mas não menos importante, temos o bom e velho Planejador de palavras-chave do Google.

Embora o GKP seja a ferramenta original de palavra-chave do Google, ela não é muito boa para gerar ideias de palavras-chave exclusivas.

Por exemplo, se você inserir uma palavra-chave da página de categoria, como “comida orgânica para cães” no GKP, ele produzirá variações muito próximas desse termo.

Dito isso, se você pesquisar um pouco, poderá encontrar algumas palavras estratégicas que não são variações diretas da palavra-chave que você acabou de digitar.

Como o Planejador de palavras-chave do Google não gera muitas palavras-chave exclusivas, a recomendação é usá-lo para verificar o volume de pesquisa e a intenção comercial de palavras que você já tenha definido com os outros mecanismos de busca.

E isso nos leva à nossa próxima etapa! Confira.

COMO ESCOLHER PALAVRAS-CHAVE PARA PÁGINAS DE PRODUTOS E CATEGORIAS DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

Agora que você tem uma lista de possíveis palavras-chave em mãos, provavelmente está se perguntando quais palavras-chave deve escolher para o seu site, não é mesmo?

Para ajudá-lo nessa etapa, siga as 4 etapas que explicaremos a seguir e encontre as melhores palavras-chave para o seu e-commerce.

1. Volume de pesquisa

Esta é de longe a métrica mais importante ao avaliar um termo de pesquisa. Afinal, de nada adianta montar toda uma estratégia de SEO para o seu e-commerce e escolher palavras-chave que não são pesquisadas pelos usuários.

Porém, é importante deixar claro que não existe um volume mínimo aceitável para uma para que uma palavra-chave seja considerada relevante. Em alguns segmentos, o volume de 100 pesquisas por mês pode ser considerado excelente. Em outros, 10 mil pesquisas mensais não são nada.

Com o tempo, você terá uma ideia do que é uma palavra-chave de “alto volume” e “baixo volume” para o seu setor. Para encontrar o volume de pesquisa de uma determinada palavra-chave, basta colocá-la no GKP. Você encontrará o número de pesquisas na seção “média de pesquisas mensais”.

Uma dica importante: vale a pena observar que algumas palavras-chave têm ENORMES variações sazonais. Obviamente, você terá mais pesquisas por “suéteres de Natal” em dezembro do que em junho. Mas existem muitas palavras-chave não sazonais que apresentam picos e vales ao longo do ano. Por exemplo, a palavra-chave “marcas de comida orgânica para cães” tem um volume de pesquisas quatro vezes maior em abril do que em dezembro.

O motivo, ninguém sabe. Porém, é importante ficar sempre atento, pois essas flutuações podem afetar diretamente os resultados do seu negócio.

Para ver rapidamente como o volume de pesquisa muda ao longo do ano, digite sua palavra-chave no KWFinder e ele mostrará um gráfico bacana com informações de volume de pesquisa mês a mês

2. Adequação entre produto e palavra-chave

Este é um grande problema que pode passar despercebido.

Digamos que você encontre uma palavra-chave que receba muitas pesquisas e ache que isso é motivo suficiente para usá-la em seu e-commerce?

Isso se torna um problema quando a palavra-chave não está diretamente relacionada com os produtos comercializados em seu site.

Se a palavra-chave escolhida for um pouco exagerada em comparação com o que você tem à venda em seu site de comércio eletrônico, as pessoas que pesquisam esse termo provavelmente não serão convertidas.

Portanto, antes de passar para os próximos dois estágios deste processo, verifique se a palavra-chave que você está considerando se encaixa no seu site como uma luva.

Por exemplo, digamos que seu site venda saquinhos de chá verde japoneses. E você se depara com uma palavra-chave como “matcha chá verde em pó”.

Mesmo que você não venda chá verde em pó (apenas saquinhos de chá), você pode criar uma página de categoria em torno desse termo e converter esses pesquisadores para o que seu site realmente vende.

Porém, essa é uma estratégia difícil de colocar em prática. Por isso, é mais recomendado ampliar para outras categorias de produtos depois de esgotar as palavras-chave que seus clientes-alvo pesquisam.

Mesmo que a palavra-chave possa receber menos pesquisas, recomendo escolher uma palavra-chave que seja muito mais direcionada para o seu negócio, como “chá verde online”.

Agora que você tem uma lista de palavras-chave que as pessoas pesquisam (e que se encaixam bem nos produtos do seu site), é hora de ver se essas pessoas estão prontas para sacar seu cartão de crédito e fazer uma compra.

3. Intenção comercial

Antes de decidir sobre uma palavra-chave, é importante verificar se a intenção por trás do termo é pura curiosidade ou está de fato ligada a uma possível compra.

Para isso, você pode utilizar o Google Keyword Planner.

Primeiro, verifique a classificação da palavra-chave “Concorrência”. Esse campo reflete quantas pessoas deram lances para aquela palavra-chave no Google Ads. Em geral, se muitas pessoas estão dando lances para uma palavra-chave, é sinal de que se trata de um termo relevante para conversão. É por isso que, quando se trata de SEO para e-commerces, é indicado usar palavras-chave de competição “média” e “alta”.

Você também pode analisar o campo “Lance na parte superior da página”, que se trata de quanto as pessoas tendem a gastar com um único clique no Google Ads. E quando se trata de avaliar a intenção comercial, quanto maior o lance sugerido, melhor.

Obviamente, palavras-chave com lances sugeridos altos também são mais competitivas para classificação na pesquisa do Google, mas falaremos disso na próxima seção.

Por enquanto, verifique o Lance na parte superior da página para as palavras-chave da sua lista e observe como certas palavras e frases que sugerem que o consumidor está pronto para comprar impactam o lance estimado.

Como você pode ver neste exemplo, a palavra-chave “chá verde japonês” tem um lance sugerido de R$2,20.

Isso ocorre porque muitas pessoas que pesquisam essa palavra-chave provavelmente não estão prontas para fazer uma compra. Eles podem estar procurando a definição ou simplesmente estar curiosos sobre os benefícios do chá verde para a saúde.

Por outro lado, uma palavra-chave semelhante como “comprar chá verde online” tem um lance sugerido 2,4 vezes maior.

4. Competição

Finalmente, é hora de analisar qual o grau de dificuldade para chegar à primeira página do Google.

Para isso, você pode analisar o campo “dificuldade da palavra-chave” no SEMrush. Essa métrica dá uma ideia de quão competitiva é uma determinada palavra-chave.

Você pode encontrar a dificuldade de uma palavra-chave no SEMrush inserindo uma palavra-chave no campo de pesquisa e depois olhar a seção “visão geral”. Quanto mais alto esse número, mais difícil é classificar essa palavra-chave no Google.

Segmentação por palavra-chave e otimização de página

É aqui que você vê se os sites classificados entre os dez primeiros são otimizados em torno dessa palavra-chave.

Mas por que isso é importante?

Se as páginas entre as 10 primeiras forem apenas parcialmente relacionadas a essa palavra-chave, é provável que você possa superá-las com uma página altamente segmentada.

Por exemplo:

Se você pesquisar “tábua de corte de bambu com alça”, notará que alguns dos resultados não estão otimizados em torno deste termo específico.

Em outras palavras: a maioria das pessoas que pesquisam essa palavra-chave provavelmente está se perguntando: “Onde está o identificador?”.

Portanto, se você otimizar uma de suas páginas de categoria de comércio eletrônico em torno da palavra-chave “tábua de corte de bambu com alça”, terá uma boa chance de chegar ao top 10.

Dica profissional: a segmentação exata por palavra-chave não é tão importante quanto antes (graças ao Google Hummingbird). No entanto, se você otimizar sua página em torno de uma palavra-chave super específica, terá uma vantagem sobre as páginas que não estão perfeitamente otimizadas.

Agora que você tem uma lista de palavras-chave que são pesquisadas, têm pouca concorrência e indicam uma real intenção de compra, é hora de configurar e otimizar a arquitetura de seu e-commerce. Veja como a seguir!

CAPÍTULO 2: Arquitetura do site para e-commerce

A arquitetura do site — ou como as páginas do seu site são organizadas e organizadas — é um ponto de SEO extremamente importante para qualquer site.

No caso de um e-commerce, esse item é ainda mais relevante, já que esse tipo de site costuma ter uma quantidade maior de páginas do que um blog ou outros tipos de negócios.

Com tantas páginas, é essencial que a arquitetura do seu site facilite a localização de todas as suas páginas, com meios de pesquisas eficientes para os usuários.

AS DUAS “REGRAS DE OURO” PARA A ARQUITETURA DE UM E-COMMERCE

Existem duas regras importantes a serem observadas quando se trata de configurar a estrutura de um e-commerce:

  • 1ª regra de ouro: mantenha as coisas simples e escalonáveis;
  • 2ª regra de ouro: mantenha cada página com no máximo 3 cliques de sua página inicial.

Daremos mais detalhes sobre essas regras logo adiante. Mas, antes, vamos dar uma olhada em um exemplo de como a arquitetura de site errada pode prejudicar seus esforços de SEO.

EXEMPLO DE COMO NÃO CONFIGURAR A ARQUITETURA DE SEU SITE DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

Aqui está um exemplo de arquitetura de site que quebra as Duas Regras de Ouro:

 

O que está errado com esta imagem?

Primeiro, não é simples. É difícil entender a lógica para chegar até as páginas finais.

Em segundo lugar, não é escalonável. Cada vez que você deseja adicionar uma nova categoria, você precisa criar uma nova camada e reorganizar suas categorias e subcategorias existentes.

Além disso, também é muito profundo.

A maioria dos links que apontam para sites de comércio eletrônico apontam para sua página inicial, e quando você tem uma arquitetura de site “profunda”, essa autoridade é diluída no momento em que chega às páginas de seu produto e categoria.

Neste exemplo, são necessários 6 cliques para chegar à primeira página do produto, o dobro dos 3 cliques máximos mencionados na 2ª regra de ouro.

Dica profissional: se o seu site já tiver uma configuração que não seja ideal, não comece a mover as páginas até consultar um profissional de SEO e um desenvolvedor, pois eles estarão aptos a fazer com que as páginas antigas redirecionem para as novas.

EXEMPLO DE SEO E ARQUITETURA DE SITE DE COMÉRCIO ELETRÔNICO DE FÁCIL UTILIZAÇÃO

Agora que você viu um exemplo de como não fazer as coisas, é hora de dar uma olhada em um exemplo de arquitetura de um e-commerce bem otimizada.

Como você pode ver, a autoridade do link está concentrada nas páginas de produto e categoria do site.

Essa autoridade concentrada ajuda a classificar essas páginas no Google, além de tornar mais fácil para o Google localizar e indexar todas as páginas.

E aqui está um exemplo de como isso ficaria para um site de comércio eletrônico que vende sapatos:

Isso não é apenas ótimo para SEO, mas os usuários também vão adorar. Isso porque uma arquitetura simples e plana torna mais fácil para os usuários encontrarem os produtos que desejam.

Vamos dar uma olhada em um exemplo da vida real de um site de comércio eletrônico com arquitetura IMPRESSIONANTE: PetSmart.com ..

Digamos que você queira comprar uma nova tigela de comida de cachorro. Você acessa a página inicial e clica em “Cachorro”.

 

Depois, “tigelas e comedouros”

E você obtém uma lista de produtos nessa subcategoria:

Em três cliques, você encontrou o que queria. E como a Petsmart usa uma estrutura de site plana, o Google indexará totalmente todas as suas páginas.

CAPÍTULO 3: SEO on-page para e-commerce

Agora que você configurou a arquitetura do seu site, é hora de otimizar suas páginas de categoria e produto. Para a maioria dos e-commerces, esses dois tipos de páginas geram a maior parte do tráfego e das vendas.

Isso faz sentido se você pensar a respeito: alguém que pesquisa “tênis de corrida Nike vermelho tamanho 10” está muito mais perto de fazer uma compra do que alguém que pesquisa “compre tênis online”.

Com isso, veja como otimizar por palavra-chave suas páginas de produto e categoria.

Uma página de e-commerce “perfeitamente otimizada”

Vejamos um exemplo de página de e-commerce “perfeitamente otimizada”:

Vamos analisar cada um desses elementos:

TAG DE TÍTULO: ADICIONE MODIFICADORES COMO “COMPRE”, “BARATO” E “NEGÓCIOS” PARA OBTER MAIS TRÁFEGO DE CAUDA LONGA

Você (obviamente) deseja usar sua palavra-chave alvo na tag de título da sua página.

Mas não pare aí. Adicionar “modificadores” à sua tag de título pode ajudá-lo a aparecer em mais pesquisas de cauda longa. Por exemplo, digamos que sua palavra-chave alvo seja: “fones de ouvido com cancelamento de ruído”.

Em vez de fazer sua tag de título: “fones de ouvido com cancelamento de ruído”, você pode adicionar uma ou duas palavras que as pessoas possam usar ao fazer essa pesquisa.

Aqui estão alguns termos comuns que as pessoas usam ao pesquisar produtos no Google:

  • Barato
  • Promoções
  • Avaliações
  • Melhor
  • Envio Grátis

Portanto, sua tag de título pode ser algo assim:

“O melhor e mais barato fone de ouvido com cancelamento de ruído”

TAG DE TÍTULO: USE PALAVRAS QUE INCENTIVEM O CLIQUE COMO “X% DE DESCONTO” E “PREÇO MAIS BAIXO” PARA IMPULSIONAR O CTR

O Google provavelmente usa a taxa de cliques orgânica como um sinal de classificação . E mesmo que não o fizessem, ainda faz sentido otimizar sua tag de título para CTR.

Isso ocorre porque um CTR mais alto gera mais cliques e, automaticamente, mais vendas.

Felizmente, há um punhado de palavras e frases que movem magneticamente o cursor de uma pessoa para o seu resultado. Eu as chamo de “Palavras de Clique Magnético”.

Aqui estão algumas das melhores palavras Click Magnet para páginas de produtos e categorias de comércio eletrônico:

  • X% de desconto
  • Garantia
  • Menor preço
  • Envio Grátis
  • Envio noturno
  • Venda

Para completar, se você incluir isso em suas tags de título e de meta descrição, as chances de obter mais cliques aumentam consideravelmente.

TAG DE TÍTULTAG DA DESCRIÇÃO: INCLUA FRASES COMO “GRANDE SELEÇÃO”, “FRETE GRÁTIS” E “TODOS OS NOSSOS ITENS ESTÃO À VENDA” PARA MAXIMIZAR O CTR DA SUA PÁGINA

A tag de descrição do seu site costumava ser uma parte importante do SEO na página e, mesmo que não seja mais o caso, sua tag de descrição é MUITO importante para o CTR.

Nesse sentido, o conceito de palavras magnéticas que listamos acima também funciona para tags de descrição.

A única diferença é que, com uma tag de descrição, você tem mais espaço para incluir frases mais longas.

Aqui estão alguns exemplos de frases que você pode usar em sua tag de descrição para obter mais cliques:

  • Obtenha os melhores preços em ____ hoje.
  • Economize X% em ____.
  • Todos os nossos ____ estão à venda agora.
  • Receba frete grátis em todos os ____ hoje.
  • Clique aqui para ver todas as nossas ofertas exclusivas em _____.
  • Grande seleção de ____ pelo menor preço garantido.

CONTEÚDO DA PÁGINA DE PRODUTO E CATEGORIA: INCLUA MAIS DE 1000 PALAVRAS DE CONTEÚDO E USE SUA PALAVRA-CHAVE DE 3 À 5 VEZES

Otimizar as páginas de produtos e categorias é uma das partes mais difíceis do SEO para e-commerce. Afinal, você deseja escrever conteúdo de alta qualidade, mas, ao contrário de uma postagem de blog, você também precisa manter a taxa de conversão em mente.

Aqui estão as três táticas de SEO mais importantes na página que recomendamos para páginas de e-commerce:

1. Escreva mais de 1.000 descrições de palavras

Estudos da indústria descobriram que o conteúdo mais longo tende a ser o melhor classificado no Google, inclusive para e-commerces.

O fato é o seguinte: o Google quer entender do que se trata a sua página e, quanto mais conteúdo você fornece, melhor o Google pode fazer seu trabalho. Além disso, o conteúdo detalhado da página do produto ajuda os clientes a entender o que estão prestes a comprar. Portanto, há um benefício para a experiência do usuário também.

Para ser claro:

Pode ser impossível para você escrever 1.000 palavras para CADA página do seu site. Se for esse o caso, a recomendação é escrever descrições de produtos longas e detalhadas para as 10-50 páginas de produtos e categorias mais importantes.

2. Espalhe suas palavras-chave (3-5x).

Depois de escrever a descrição detalhada do produto, é hora de se certificar de que você usou a palavra-chave de 3 a 5 vezes em seu conteúdo.

Isso não tem nada a ver com densidade de palavras-chave, você está apenas incluindo sua palavra-chave algumas vezes para ajudar o Google a entender do que se trata sua página.

Dica profissional: o Google dá um pouco mais de peso às palavras-chave que aparecem no topo de uma página da web. Portanto, certifique-se de que sua palavra-chave esteja no topo da página ou nas primeiras 100 palavras da descrição do seu produto ou categoria.

3. Palavras-chave LSI

Palavras- chave da Indexação Semântica Latente (LSI) são palavras e frases intimamente ligadas à sua palavra-chave principal. Por exemplo, digamos que você esteja otimizando uma página de categoria do seu e-commerce em torno da palavra-chave “fogões de indução”. Os termos intimamente relacionados a essa palavra-chave incluem:

  • 6 bocas, 4 bocas etc.
  • Cronômetros
  • Panela de pressão
  • Manual
  • Receitas
  • Ensopado
  • Sopa
  • Aço inoxidável

Veja como encontrar (e usar) palavras-chave LSI especificamente para o SEO de um e-commerce:

Etapa 1: O Amazon Eyeball Test

Primeiro, vá para a Amazon e pesquise a palavra-chave desejada.

Em seguida, dê uma olhada nos termos que aparecem várias vezes na página da categoria ou na página do produto para essa palavra-chave.

Existe também outra opção: se você tem um concorrente que o supera em sua palavra-chave, faça o mesmo processo no site dele.

Etapa 2: Planejador de palavras-chave do Google

Insira sua palavra-chave de destino no Planejador de palavras-chave do Google e dê uma olhada nas outras palavras que o Google sugere para você.

Etapa 3: espalhe-os em seu conteúdo

Por fim, espalhe as palavras-chave LSI que façam sentido no conteúdo da página do seu produto ou categoria.

URLS CURTAS E RICAS EM PALAVRAS-CHAVE

Nossa análise de 11 milhões de resultados de pesquisa do Google encontrou uma correlação clara entre o comprimento do URL e as classificações.

Especificamente, descobrimos que URLs curtas tendem a ter uma classificação mais elevada na primeira página do Google do que URLs longas.

Sabemos que e-commerces tendem a ter urls mais longas do que outros sites, já que é preciso incluir categorias e subcategorias nelas, como neste exemplo: https://example.com/category/subcategory/product.html

No entanto, é importante se certificar de que suas URLs não tenham mais de 50 caracteres, pois isso pode confundir o Google e diluir o impacto das palavras-chave em sua URL.

Outro ponto importante é eliminar qualquer caractere desnecessário, como “productID.300190600” e outros que não remetam ao seu produto para o consumidor.

Falando em usar termos amigáveis com SEO em sua URL, também é importante tornar suas URLs ricas em palavras-chave.

Para páginas de categoria, inclua uma descrição de 1 a 2 palavras dessa categoria:

https://example.com/ kitchenappliances

Siga o mesmo processo para as subcategorias. Só que desta vez, a subcategoria virá depois da categoria no URL:

https://example.com/kitchenappliances/ slowcookers

Em seguida, para páginas de produtos, inclua apenas a palavra-chave de destino para esse produto, separada por travessões (“-”).

https://example.com/kitchenappliances/slowcookers/ 6-quart-crockpot

Dica profissional: Alguns sites de comércio eletrônico não usam categorias e subcategorias em suas URLs. Por exemplo, em
vez de https://example.com/kitchenappliances/slowcookers/6-quart-crockpot , sua URL seria simplesmente: https://example.-
com/6-quart-crockpot . Isso torna as URLs mais curtas e mais densas em palavras-chave. Não é a primeira recomendação para
quem está construindo as URLs do zero, mas se é assim que você configurou em seu e-commerce, saiba que não vai prejudicar
sua classificação.

LINKS INTERNOS: LINKS PARA PÁGINAS DE ALTA PRIORIDADE

Uma das coisas boas sobre o SEO para e-commerce é que os links internos são feitos quase automaticamente. Isso ocorre porque a navegação do seu site geralmente cria muitos links internos naturais. Dito isso, o link interno estratégico é definitivamente uma prática de SEO recomendada para e-commerce. Portanto, você deve gastar algum tempo nisso.
Especificamente, você deseja vincular internamente as páginas autorizadas a produtos de alta prioridade e páginas de categoria.
Por exemplo, digamos que você acabou de publicar uma postagem de blog que gerou muitos backlinks.
E você também tem uma página de produto que classifica #5 no Google para “cadernos moleskin”.
Então, você pode adicionar um link do seu produto neste texto.

IMPLEMENTE O ESQUEMA DE REVISÃO DO PRODUTO PARA OBTER RICH SNIPPETS EXIBIDOS NO GOOGLE

Se você deseja uma maneira fácil de se destacar na primeira página do Google, os snippets são ótimos para isso.

No caso de e-commerces, existe uma vantagem para conseguir um dos snippets mais atraentes que existem: as avaliações.

Aqui está um exemplo:

Se você está se perguntando como conseguir esses trechos incríveis, saiba que é só implementar a marcação do Schema nas suas páginas de produtos.

O Schema é um código especial que fornece aos mecanismos de pesquisa (como Google e Bing) uma compreensão mais profunda do conteúdo da sua página.

Embora não haja garantia de que o Google exibirá snippets apenas porque você pediu, a marcação adequada do Schema aumenta suas chances.

Você pode configurar manualmente a marcação do esquema, mas não é fácil. É por isso que recomendo que você use o assistente de marcação para dados estruturados do Google.

Veja exatamente como usar essa ferramenta útil para que você possa implementar rapidamente a marcação de revisão do
Schema.

Primeiro, vá até a ferramenta e escolha “produtos”:

Em seguida, encontre uma página de produto em seu site que contenha análises e avaliações. Pode ser um único revisor ou, como é o caso da maioria dos sites de comércio eletrônico, revisões de usuários.

Cole o URL da página do produto no campo URL e clique em “Iniciar marcação”.

Em seguida, destaque a seção da página que você deseja marcar. Nesse caso, vamos nos concentrar em análises e classificações de produtos.

Se uma única pessoa avaliou seu produto, escolha “Revisar”. Em seguida, destaque o nome da pessoa que avaliou o produto, a data da avaliação etc.

Se os clientes avaliarem o produto, destaque o número ou a avaliação com estrelas e escolha “Avaliação agregada”.

Certifique-se de fornecer o máximo de informações possível. Por exemplo, não se esqueça de destacar o número de comentários e escolher a tag “contagem”.

Quando terminar, escolha “Criar HTML”.

Você pode copiar e colar esse novo HTML em sua página ou adicionar a nova marcação de esquema ao código existente.

Dica profissional: use o Google Search Console para verificar se o esquema está implementado corretamente. Se você tiver configurado o esquema, verá “Rich Results” em aprimoramentos na barra lateral.

CAPÍTULO 4: SEO técnico para e-commerce

O SEO técnico é uma daquelas coisas que são importantes para TODOS os sites, especialmente para e-commerces. Isso ocorre porque os e-commerces tendem a ter MUITAS páginas e todas elas aumentam as mudanças que surgirão nos problemas técnicos de SEO.
Não apenas isso, mas a maioria das páginas de e-commerces não têm tantos backlinks apontando para elas, o que significa que o SEO técnico costuma ser o “desempate” para a primeira página do Google. Por exemplo, se você e seu concorrente estão empatados, um problema técnico de SEO pode ser a diferença entre o 4º lugar e o cobiçado primeiro lugar no ranking. É por isso que auditorias técnicas regulares de sites de SEO são fundamentais.

COMO EXECUTAR UMA AUDITORIA TÉCNICA DE SEO EM UM SITE DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

Neste exemplo, vamos usar o Raven Tools. Em minha opinião, ele tem o recurso de auditoria de site mais completo e fácil de entender que existe.

Além das ferramentas Raven, aqui estão outras ferramentas de SEO que você pode usar para auditorias de sites de e-commerces:

  • SEMrush
  • DeepCrawl
  • ScreamingFrog
  • Site Condor
  • Ahrefs

Para usar o Raven para a auditoria de SEO do seu e-commerce, escolha “Auditor do site” na barra lateral esquerda e a Raven analisará seu site em busca de erros em potencial. Em seguida, examine o relatório em busca de problemas que surjam, tais como:

  • Problemas com suas tags de título e / ou descrição:
  • Conteúdo duplicado e fino;
  • Links quebrados;
  • Entre outros;

Agora que você viu como encontrar erros de SEO, é hora de mostrar como resolvê-los.

COMO CORRIGIR PROBLEMAS TÉCNICOS COMUNS DE SEO EM SITES DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

Problema: muitas páginas

Ter milhares de páginas em seu site pode ser um pesadelo técnico de SEO. Isso torna a escrita de conteúdo exclusivo para cada página uma tarefa monumental. Além disso, quanto mais páginas você tiver, maior será a probabilidade de você lutar com problemas de conteúdo duplicado.

Por que isso acontece?

Alguns sites de comércio eletrônico têm apenas muitos produtos à venda. Como cada um desses produtos exige sua própria página, o site acumula muitas páginas. Além disso, às vezes, cada pequena variação no mesmo produto (por exemplo, 15 tamanhos de sapatos diferentes) tem seu próprio URL exclusivo, que pode aumentar a contagem total de páginas do seu site de comércio eletrônico.

Como corrigi-lo?

Primeiro, identifique as páginas que você pode excluir ou noindex, sem afetar seus resultados financeiros. Na minha experiência, 80% das vendas de um site de comércio eletrônico vêm de 20% de seus produtos (o velho princípio 80/20 em ação). E cerca de 25% das páginas de um produto de comércio eletrônico não geraram NENHUMA venda no ano passado.

Em vez de trabalhar para melhorar essas páginas, é melhor simplesmente excluí-las, sem indexá-las ou combiná-las em uma “superpágina”.

A maioria dos CMSs de comércio eletrônico (como o Shopify) facilita a localização de produtos que não geraram receita recentemente. Caso contrário, você pode colocá-los em uma lista de “talvez excluir”.

Mas antes de realmente excluir qualquer coisa, verifique o Google Analytics para ter certeza de que essas páginas não estão trazendo nenhum tráfego.

Se uma página não está trazendo visitantes ao seu site ou colocando dinheiro no bolso, você deve se perguntar: “qual é o objetivo desta página?”.

Em alguns casos, essas páginas “peso morto” representarão de 5 a 10% do seu site. Para outros, pode chegar a 50%.

Depois de remover o excesso de páginas que podem estar causando problemas, é hora de corrigir e melhorar as páginas que sobraram.

Problema: conteúdo duplicado

O conteúdo duplicado é um dos problemas de SEO mais comuns e que mais podem afundar e-commerces nos resultados de pesquisa do Google (graças ao Google Panda).

Felizmente, com um conteúdo exclusivo em cada página de e-commerce e usando técnicas avançadas de SEO, como tags canônicas, você pode tornar os problemas de conteúdo duplicados uma coisa do passado.

Por que isso acontece?

Existem muitos motivos pelos quais o conteúdo duplicado surge em e-commerces. Aqui estão os três motivos mais comuns:

Primeiro, o site cria URLs exclusivas para cada versão de uma página de produto ou categoria.

Se essas URLs forem indexadas pelo Google, criarão MUITO conteúdo duplicado.

Isso também pode acontecer se pequenas variações do mesmo produto (por exemplo, tamanhos ou cores diferentes de sapatos) criarem URLs de página de produto exclusivos.

Em segundo lugar, temos conteúdo clichê. É aqui que você tem um trecho de texto que aparece em várias páginas.

Claro, é perfeitamente normal usar parte do mesmo conteúdo em todas as páginas, mas se o seu conteúdo clichê chegar a mais de 100 palavras, ele pode ser visto como um conteúdo duplicado aos olhos do Google.

Finalmente, copiamos as descrições. Isso acontece sempre que você tem o mesmo conteúdo (ou muito semelhante) em vários produtos ou páginas de categoria.

Como corrigi-lo?

Sua primeira opção é não indexar páginas que não trazem tráfego do mecanismo de pesquisa, mas estão causando problemas de conteúdo duplicado.

Por exemplo, se seus filtros de categoria geram URLs exclusivos, você não pode indexar essas URLs. Problema resolvido.

Depois de não indexar todas as URLs que precisam ser acessadas, é hora de acessar a tag canônica (“rel = canonical”).

Uma tag canônica simplesmente informa aos mecanismos de pesquisa que certas páginas são cópias exatas ou pequenas variações da mesma página. Quando um mecanismo de pesquisa vê uma tag canônica em uma página, ele sabe que não deve tratá-la como uma única página.

(A canonização não apenas resolve problemas de conteúdo duplicado, mas também ajuda a tornar seus backlinks mais valiosos. Isso ocorre porque os links que apontam para várias URLs diferentes são redirecionados para uma única URL, tornando esses links mais
poderosos.)

Problema: conteúdo duplicado

O conteúdo duplicado é um dos problemas de SEO mais comuns e que mais podem afundar e-commerces nos resultados de pesquisa do Google (graças ao Google Panda).

Felizmente, com um conteúdo exclusivo em cada página de e-commerce e usando técnicas avançadas de SEO, como tags canônicas, você pode tornar os problemas de conteúdo duplicados uma coisa do passado.

Por que isso acontece?

Existem muitos motivos pelos quais o conteúdo duplicado surge em e-commerces. Aqui estão os três motivos mais comuns:

Primeiro, o site cria URLs exclusivas para cada versão de uma página de produto ou categoria.

Se essas URLs forem indexadas pelo Google, criarão MUITO conteúdo duplicado.

Isso também pode acontecer se pequenas variações do mesmo produto (por exemplo, tamanhos ou cores diferentes de sapatos) criarem URLs de página de produto exclusivos.

Em segundo lugar, temos conteúdo clichê. É aqui que você tem um trecho de texto que aparece em várias páginas.

Claro, é perfeitamente normal usar parte do mesmo conteúdo em todas as páginas, mas se o seu conteúdo clichê chegar a mais de 100 palavras, ele pode ser visto como um conteúdo duplicado aos olhos do Google.

Finalmente , copiamos as descrições. Isso acontece sempre que você tem o mesmo conteúdo (ou muito semelhante) em vários produtos ou páginas de categoria.

Como corrigi-lo?

Sua primeira opção é não indexar páginas que não trazem tráfego do mecanismo de pesquisa, mas estão causando problemas de conteúdo duplicado.

Por exemplo, se seus filtros de categoria geram URLs exclusivos, você não pode indexar essas URLs. Problema resolvido.

Depois de não indexar todas as URLs que precisam ser acessadas, é hora de acessar a tag canônica (“rel = canonical”). Uma tag canônica simplesmente informa aos mecanismos de pesquisa que certas páginas são cópias exatas ou pequenas variações da mesma página. Quando um mecanismo de pesquisa vê uma tag canônica em uma página, ele sabe que não deve tratá-la como uma única página.

(A canonização não apenas resolve problemas de conteúdo duplicado, mas também ajuda a tornar seus backlinks mais valiosos. Isso ocorre porque os links que apontam para várias URLs diferentes são redirecionados para uma única URL, tornando esses links mais poderosos.)

Dica profissional: implementar tags canônicas pode ser complicado. É por isso que recomendo que você contrate um profissional de SEO com experiência técnica em SEO para ajudar. Mas se você preferir configurar canônicos sozinho, este guia do Google o ajudará.

Finalmente, é hora de escrever conteúdo exclusivo para todas as páginas que você não indexou ou configurou com URLs canônicas.

Sim, é um trabalho árduo (especialmente para e-commerces com milhares de páginas). Mas é uma necessidade absoluta se você
deseja competir contra os gigantes do comércio eletrônico (como a Amazon) que tendem a dominar a primeira página do Google.

Para tornar o processo mais fácil, recomendamos a criação de modelos para descrições de páginas de produtos e categorias.

Problema: Conteúdo limitado

O conteúdo limitado é outro problema técnico de SEO comum com o qual e-commerces precisam lidar. Portanto, mesmo depois de resolver seus problemas de conteúdo duplicado, você pode ter páginas com conteúdo limitado.

E não se engane: o conteúdo superficial pode inviabilizar campanhas inteiras de SEO em e-commerces. Para ter uma ideia, o eBay perdeu mais de 33% de seu tráfego orgânico devido a uma penalidade do Panda relacionada ao conteúdo.

Mas não vamos nos concentrar no negativo. Nossos dados da análise de 11 milhões de resultados de pesquisa do Google descobriram que o conteúdo mais longo tendia a se classificar acima do conteúdo superficial.

Por que isso acontece?

Um dos principais motivos pelos quais os sites de comércio eletrônico sofrem com o conteúdo superficial é que é um desafio escrever muito conteúdo exclusivo sobre produtos semelhantes. Afinal, depois de escrever uma descrição sobre um tênis de corrida, o que você pode escrever sobre outros 25?

Embora seja uma preocupação legítima, não deve impedi-lo de escrever pelo menos 500 palavras (e de preferência mais de 1000 palavras) para todas as suas categorias e páginas de produtos importantes.

Como corrigi-lo?

Primeiro, você deseja identificar as páginas do seu site que possuem conteúdo limitado.

Você pode percorrer cada página do seu site, uma por uma, ou usar uma ferramenta como o Raven Tools para encontrar as páginas um pouco estreitas (o Raven considera as páginas com menos de 250 palavras como tendo uma “contagem baixa de palavras”).

Depois de identificar as páginas de conteúdo limitado, é hora de aumentá-las com conteúdo exclusivo de alta qualidade. Os modelos tornam esse processo significativamente mais rápido.

Dica Profissional: Todos têm uma definição diferente de “conteúdo superficial”. Nós consideramos que ele se refere a pequenos trechos de conteúdo que não trazem nenhum valor exclusivo para o consumidor.

Dica Profissional 2: Quanto mais verdadeiramente único o seu conteúdo é, melhor. Isso significa realmente usar os produtos que você vende, escrever suas impressões, tirar suas próprias imagens de produto. Isso fará com que as descrições de seus produtos se destaquem para os usuários e mecanismos de pesquisa.

Problema: Conteúdo limitado

A velocidade do site é um dos poucos sinais que o Google admitiu usar em seu algoritmo.

Mas a velocidade de um e-commerce não é importante apenas para o SEO: ela também afeta diretamente seus resultados financeiros. Uma pesquisa da Radware descobriu que tempos de carregamento lentos podem aumentar o abandono do carrinho de compras em 29,8%.

Por que isso acontece?

Aqui estão os três motivos mais comuns para o carregamento lento das páginas de um e-commerce:

  • Plataformas de e-commerce infladas: certas plataformas são inerentemente lentas devido ao código inflado. E, ao contrário de um CMS de blog como o WordPress , você não pode simplesmente instalar um plugin e ver sua velocidade aumentar;
  • Tamanhos de arquivo de imagem grandes: imagens de produtos em alta resolução são fantásticas para seus clientes, mas podem fazer sua página carregar lentamente;
  • Hospedagem e servidores lentos: Quando se trata de hospedagem na web, você obtém o que pagou. Um plano de hospedagem lento pode colocar freios na velocidade máxima do seu site.

Felizmente, todos esses três problemas de velocidade do site podem ser resolvidos com certa facilidade.

Como corrigi-los?
  • Atualize sua hospedagem: Não posso recomendar provedores de hospedagem específicos porque sua decisão depende de suas preferências e necessidades (por exemplo, o nível de suporte, preço, segurança etc.). Mas o que posso dizer é que você deve gastar pelo menos R$200/ mês com seu anfitrião. Se você gastar menos, sua velocidade de carregamento provavelmente será prejudicada.
  • Invista em um CDN: Um CDN é uma das maneiras mais rápidas (e mais baratas) de aumentar significativamente a velocidade de carregamento do seu site. Bônus: um CDN também torna seu site mais seguro contra ataques e hacks.
  • Otimize o tamanho do arquivo de imagem com compactação: Este é um fator importante para as páginas de produtos de comércio eletrônico. Certifique-se de exportar imagens para que sejam otimizadas para a web.

CAPÍTULO 5: Marketing de Conteúdo para e-commerce

O marketing de conteúdo pode ajudá-lo a obter MUITO tráfego qualificado e gerar vendas.

A questão é:

Como você usa o conteúdo para obter classificações mais altas e mais tráfego para seu e-commerce? Aqui está um guia passo a passo!

ETAPA 1: DESCUBRA ONDE SEUS CLIENTES-ALVO SE ENCONTRAM ONLINE

Sair com seus clientes dá a você uma visão incrível de seus pensamentos, sonhos, medos e desejos. Como nem sempre é possível sair com os clientes na vida real, recomendo ir a lugares que eles costumam frequentar online.

Por exemplo, se o seu público-alvo é composto por amantes de livros, você pode verificar lugares como a comunidade Skoob, por exemplo.

ETAPA 2: APRENDA QUAIS PALAVRAS E FRASES OS CLIENTES USAM

Agora que você encontrou seu público-alvo, é hora de persegui-lo. Não se preocupe, isso não é tão assustador quanto parece.

Você só quer ficar de olho nas palavras e frases que eles usam para descrever seus problemas e questões.

Essas frases representam palavras-chave que seu público-alvo usa quando não está comprando produtos. Elas são ótimas palavras-chave para você criar o conteúdo do blog.

ETAPA 3: CRIE UM CONTEÚDO EXCELENTE EM TORNO DESSA PALAVRA-CHAVE

Em seguida, é hora de criar um conteúdo que é absolutamente o melhor do planeta.

A maneira mais fácil de fazer isso?

A técnica do arranha-céu.

Este vídeo irá guiá-lo por todo o processo passo a passo:

https://www.youtube.com/watch?v=pqe7U4YOGOA

E quando você terminar a etapa # 3, comece de volta no topo e execute toda esta estratégia de SEO novamente.

Ao publicar conteúdo de forma consistente em seu e-commerce, você descobrirá que todos esses links, tráfego e compartilhamentos de mídia social ajudam a melhorar a classificação de suas páginas de produto e categoria.

Por exemplo, o popular e-commerce de utensílios de cozinha Williams-Sonoma.com tem um blog excelente que apresenta receitas, dicas de culinária, entrevistas com chefs e muito mais.

Esse é um dos principais motivos pelos quais tantos sites possuem links para eles.

CAPÍTULO 6: Link Building para e-commerce

Neste capítulo, temos DOIS estudos de caso detalhados de link building de e-commerce para mostrar.

No primeiro estudo de caso, você verá como uma marca construiu links diretamente para as páginas de produtos de seu e-commerce sem qualquer conteúdo.

Em seguida, você lerá como um segundo e-commerce usou duas estratégias criativas de link building para aumentar o tráfego orgânico de seu site em 2272%.

Estudo de caso no. 1: backlinks de blogs de tecnologia populares

O primeiro estudo apresenta um e-commerce que enfrentava dificuldades com o link building. Então, sua agência decidiu experimentar o Método do Homem em Movimento.

Depois de implementar essa estratégia, o número de links apontando para o site de seu cliente disparou como um foguete. Claro, foi ótimo construir tantos backlinks, mas os TIPOS de links que ele conseguiu obter (links contextuais de sites altamente relevantes no nicho de eletrônicos) é a verdadeira história aqui.

Especificamente, o e-commerce recebeu links de:

  • Um site popular de produtos eletrônicos de consumo;
  • Um popular site de notícias regional;
  • Um link editorial de uma revista eletrônica online;

Melhor ainda, vários desses links apontam diretamente para páginas de produtos e categorias.

Aqui está o processo passo a passo que essa marca seguiu.

ETAPA 1: ENCONTRE RECURSOS DESATUALIZADOS, MOVIDOS OU EXPIRADOS

A etapa 1 é encontrar recursos desatualizados, expirados ou que não funcionam.

Como se tratava de um e-commerce, a marca se concentrou em empresas que haviam falido recentemente.

Mas não importa o que você venda, existem empresas em seu setor que fracassaram e têm MILHARES de links apontando para seu antigo site.

Em muitos casos, o nome de domínio realmente expira. Quando isso acontece, todo o site é substituído por páginas estacionadas.

Como as páginas de sites fora do negócio ainda estão funcionando tecnicamente (não são 404s), os verificadores de links quebrados não conseguem localizá-las.

Embora domínios estacionados sejam mais difíceis de encontrar do que links quebrados, é vantajoso utilizá-los, pois eles conectam você com oportunidades de construção de links que sua concorrência não conhece.

A questão é como você pode encontrar esses recursos desatualizados?

Aqui está uma estratégia que funciona muito bem:

Quando um domínio autoritativo expira, ele geralmente é pego por um grande site de leilão de domínio como o GoDaddy Auctions , NameJet ou até mesmo pesquisa de domínio Flippa.

Esses sites pegaram domínios que tinham algo a seu favor (tráfego, backlinks ou ambos) e os organizam em um só lugar para torná-los fáceis de filtrar.

A marca em questão percebeu um domínio estacionado no mesmo nicho em que ela atuava e, com isso, entendeu que vários outros sites também apontavam para o este site.

ETAPA 2: PEGUE UMA LISTA DE PÁGINAS QUE APONTAM PARA O RECURSO DESATUALIZADO

Depois de identificar um recurso popular, mas desatualizado, é hora de encontrar sites com links para ele.

Primeiro, pegue a URL do recurso morto.

Se for uma página individual em um site (por exemplo, uma ferramenta que não está mais funcionando ou um serviço que uma empresa não oferece mais), insira o URL dessa página específica.

Se todo o site estiver fora do ar, você pode usar o URL da página inicial.

Dê uma olhada no número de domínios de referência. Quanto mais domínios de referência, mais oportunidades de link existem para você.

Por fim, clique em “backlinks” para ver todas as páginas com links para o recurso desatualizado que você encontrou. E isso nos leva à última etapa.

ETAPA 3: ENVIAR E-MAILS E OBTER LINKS

Agora é hora de informar às pessoas sobre seu link desatualizado e sugerir que seja substituído para o seu site, por exemplo.

Como elas tendem a ficar gratas por esse aviso, a chance de divulgar seu link é muito maior.

Foi dessa forma que nosso primeiro caso de estudo conseguiu backlinks para o seu site.

Estudo de caso nº 2: Como uma marca criou links para seus sites de comércio eletrônico de casamento

Este caso descreve uma marca que lançou recentemente um e-commerce no segmento de casamento.

Considerando o quão competitiva é a indústria de casamento, a marca sabia que precisava construir vínculos rapidamente e uma forma de atingir esse objetivo era conseguir um bom volume de backlinks.

Um dia, o gestor desse e-commerce estava bisbilhotando vários grupos do Facebook relacionados a casamento e ele percebeu que grupos organizavam eventos que apresentavam produtos de fornecedores de casamento.

Logo, esse gestor percebeu que poderia usar esses eventos para criar links para sua loja de presentes para padrinhos e foi essa estratégia simples gerou vários links excelentes para seu e-commerce.

Vamos detalhar a estratégia passo a passo.

ETAPA 1: ENCONTRE GRUPOS EM SEU SETOR QUE REALIZAM EVENTOS

Junte-se a alguns grupos do Facebook em sua indústria. Em seguida, verifique a guia “eventos” dentro do grupo.

ETAPA 2: PROCURE EVENTOS QUE PRECISAM DE INFORMAÇÕES

Procure os próximos eventos em que seus produtos podem ser uma boa opção.

Alguns eventos chegam a dizer que procuram fornecedores.

ETAPA 3: ENTRE EM CONTATO COM OS ORGANIZADORES DO EVENTO

Entre em contato com as pessoas que estão organizando o evento. Pergunte se eles gostariam de apresentar alguns de seus produtos no evento.

Você pode perguntar com antecedência se os produtos que enviar serão apresentados no grupo ou na cobertura da imprensa. Caso contrário, envie-os gratuitamente e espere pelo melhor.

ETAPA 4: ENVIE SEUS PRODUTOS

Você pode solicitar que os itens não utilizados sejam devolvidos. Mas é mais fácil não ter que lidar com frete de retorno.

ETAPA 5: MANTENHA-SE ATUALIZADO

Mantenha contato com o organizador do evento, especificamente, quando estão escrevendo uma postagem sobre o evento.

Acompanhe tudo e esteja atento para que seu produto apareça e certifique-se de ser creditado com um link quando ele for ao ar.

ETAPA 6: AGRADEÇA AO ORGANIZADOR

E ofereça-se para trabalhar juntos novamente em um evento futuro.

No caso desse e-commerce de casamento, os links desta campanha ajudaram a aumentar o tráfego em 2.272% em comparação com o ano anterior.

Esperamos que você tenha obtido muito valor com este guia sobre SEO para e-commerce!

Agora, gostaríamos de ouvir de você: qual dessas estratégias você tentará primeiro? Você vai modificar suas tag de título? Ou mexer no SEO Técnico? Conte para nós nos comentários.

Originalmente traduzido de: https://backlinko.com/ecommerce-seo