Saiba o que é um sitemap e porque criar um para o seu site

SEO

Já ouviu falar em sitemap? Caso não, fique sabendo que você está perdendo um importante canal de comunicação entre seu site e os principais motores de busca.

 

De forma resumida, o sitemap é um arquivo simples, usualmente criado no formato XML (formato para criação de documentos organizados hierarquicamente) informa aos buscadores (como o Google, por exemplo):

  • A estrutura do site;
  • Suas atualizações;
  • As principais páginas a serem indexadas.

 

Dessa forma, a leitura do site pelo motor de busca é facilitada e agilizada. Isso é justamente o que os rastreadores dessas ferramentas buscam. Isso porque eles vasculham uma quantidade enorme de sites por dia.

 

Tomando o Google como exemplo, a plataforma olha mais de 30 trilhões de URLs por dia e rastreia outras 20 bilhões no mesmo período.

 

Por essa razão, ao dar uma ajuda nesse processo, tornando a página mais facilmente escaneável, as chances de um ranqueamento mais alto são potencializadas.

 

Confira os tópicos que preparamos para este artigo:

  • O que é um sitemap        
  • Sitemap.xml: faça o robô do Google saber que você existe
  • O mapa do site, por que é importante?
  • Como usar seu sitemap
  • O que o sitemap influencia na estratégia de SEO
  • Como melhorar seus resultados

 

O sitemap é uma importante ferramenta dentro da estratégia de SEO. Seu site pode ser leve, responsivo e otimizado. Porém, o Google precisa conhecer o conteúdo do site para direcionar tráfego para ele.

 

O custo-benefício do investimento em desenvolver em um sitemap é bem alto. Isso porque é uma técnica de SEO que entrega muitos ganhos em troca de um esforço comparativamente baixo.

 

Apesar de ser considerada uma parte técnica de SEO, a criação de um sitemap é bastante intuitiva e não demanda entendimento de programação. É possível construir um ótimo sitemap em poucos minutos.

 

Nesse artigo você irá entender com mais profundidade o que é um sitemap e como fazê-lo. Ao final desse conteúdo, não deixe de tentar implementar na sua própria página.

O que é um sitemap        

De forma simples e resumida, o sitemap é uma lista das URLs dos sites. A forma como o site está estruturado e todo o conteúdo presente nele são mapeados nesse arquivo.

 

Ao fazer isso, o site fica mais otimizado para o entendimento do Google. Ao entender essa estrutura, a ferramenta pode vasculhar o conteúdo do seu site com mais eficácia.

 

Essa comunicação mais eficiente com o Google, você define quais URLs devem ser preferencialmente indexadas pelo robô de busca, faz com que a ferramenta priorize as páginas que estão listadas no arquivo XML.

 

É importante lembrar que o sitemap precisa estar em um arquivo XML simples. Não podendo exceder as 50.000 URLs e 10 MB.

Todos os sites precisam de um Sitemap XML?

Em um contexto geral, todos os sites se beneficiaram de ter um sitemap em XML. Porém, alguns tipos de site se beneficiam mais de sitemaps do que outros.

 

Entre os tipos de site que seriam beneficiados por um sitemap estão sites médios e grandes, sites com grandes arquivos e sites novos que possuem apenas alguns links externos, sites que são atualizados constantemente (como portais de notícia, por exemplo).

Veja de forma mais detalhada os sites que possuem maior necessidade de um Sitemap

Site muito grande

Quando se fala de site grande, é importante definir os parâmetros corretos. Estamos falando de sites com algumas milhares de páginas pelo menos, como marketplaces e grandes plataformas de ecommerce.

 

Acontece que quando há necessidade de indexar muitas páginas, é possível que os robôs ignorem certos endereços e atualizações, caso não estejam indicados como prioritários.

Site recente

Caso o site seja novo, o sitemap auxilia os rastreadores do motor de busca a encontrá-lo e indexar as novas páginas com mais rapidez.

 

Isso porque um site novo geralmente ainda não possui uma quantidade significativa de links externos, o que pode dificultar sua localização.

Sites com atualização frequente de conteúdo

 

Sites que demandam uma indexação rápida de conteúdo

A implementação de um sitemap faz com que a indexação de páginas recém-adicionadas ao site ocorram mais rapidamente. Para que isso ocorra, é necessário adicioná-la ao sitemap.

 

Esse recurso é importante especialmente para sites que buscam rankeamento em categorias específicas, como o Google Notícias ou Google Shopping.

Sitemap.xml: faça o robô do Google saber que você existe

Os sitemaps ajudam a corrigir uma distorção que pode ser bastante prejudicial para o seu site.

 

Eles ajudam a não deixar de fora dos holofotes do Google páginas de sites que trabalham com arquivos menos comuns ou que movimentam grandes quantidades de dados.

Ou mesmo páginas que estão em locais mais profundos e escondidos dentro da estrutura do site. Páginas que demandam um longo percurso de links para serem acessadas costumam ser ignoradas pelos motores de busca.

 

É importante ressaltar que os sitemaps não garantem o rastreamento de um site ou mesmo sua indexação. 

 

Da mesma forma, páginas específicas também não são incorporadas instantaneamente. 

 

A estruturação de sitemaps é apenas um facilitador dessa comunicação com as ferramentas de busca.

Como criar um sitemap

Apesar do limite estabelecido pelo Google de no máximo 50.000 URLs, as boas práticas recomendam arquivos com no máximo 10.000 URLs.

 

Outra recomendação é criar mais de um arquivo de sitemap. Você pode dividi-los por categorias, por exemplo. Isso te ajudará a minimizar o risco de erros dos robôs da ferramenta de busca e também facilita a correção desses erros, caso ocorram.

 

É interessante observar que o arquivo sitemap.xml pode ser criado de três maneiras diferentes:

  • Manualmente: o sitemaps são basicamente listas, dessa forma você pode criá-las manualmente de forma bem simples. Um modelo desse arquivo pode te ajudar;
  • Aplicativos e Plugins: Programas como o Screaming Frog fazem um rastreamento do site simulando o robô do Google. Há também outras opções de plugins como o Yoast SEO, presente no WordPress.
  • Ferramentas online: Caso esteja buscando por algo mais rápido e menos burocrático, há sites que geram sitemaps sem a necessidade da instalação de um programa ou plugin (como o www.mysitemapgenerator.com).

Quais são os diferentes tipos de Sitemaps?

Existem diversos tipos de sitemap, seja focado em vídeos ou notícias, cada categoria de sitemap atende a um objetivo específico.

 

Veja abaixo alguns exemplos com os principais tipos de sitemaps:

 

Notícias

Sites dinâmicos, como os de notícias, estão entre os que mais precisam de sitemaps. Dessa forma, as publicações são descobertas pelo Google mais rapidamente. 

 

Crie um sitemap específico para seu conteúdo de notícias, mesmo que já exista um sitemap da página. Além disso, é recomendado atualizar o próprio sitemap criado com os novos artigos e não criar novos mapas.

Vídeos

Os sitemaps de vídeos autorizam a inserção de informações relevantes para o Google,  entre elas a miniatura do vídeo, descrição e o tempo de duração.

 

Facilite a vida dos rastreadores do Google, colocando dados adicionais sobre os vídeos, e eles te ajudarão a conseguir um bom ranqueamento nas páginas de busca.

Imagens

O ranqueamento de imagens pode ser algo bastante capcioso, isso acontece porque ele é baseado na URL e na descrição incluídos na imagem, o Google ainda não examina o conteúdo das imagens para classificá-la.

 

Portanto, nesse caso é importante trabalhar em descrições e URLs completas, para que elas sejam indexadas especificamente na busca específica de imagens.

Quais páginas devem estar no Sitemap XML?

Agora você já entendeu a importância e a utilidade de criar um sitemap. Mas como decidir quais páginas serão incluídas nesse arquivo?

 

Bem, a resposta simples é que sempre vale a pena implementar esse recurso. Sejam páginas de sites ou blogs, o investimento de recursos e tempo é baixo, enquanto o retorno é bastante significativo.

 

Ao escolher quais páginas devem fazer parte do seu sitemap XML, considere os seguintes aspectos: direcionar um visitante para essa URL é vantajoso para você, você quer que os visitantes acessem essa URL?

 

Caso a resposta para essas perguntas seja positiva, você deve adicionar essa página ao seu XML.

 

Por outro lado, se por alguma razão você não quiser que alguma página seja indexada, adicione a seguinte tag: ‘noindex, follow’.

Como usar seu sitemap

Para começar a utilizar seu sitemap, é bastante simples e uma vez implementado você pode integrá-lo com outras plataformas que te ajudarão a melhorar seus resultados.

 

Carregar o sitemap em seu site pode ser feito de forma manual, pelo cPanel do seu site de hospedagem ou usando um servidor de FTP, como FileZilla e Classic FTP.

 

Uma vez implementado, você poderá também integrar esse sitemap com plugins como o Yoast SEO do WordPress (caso seu site esteja hospedado nessa plataforma) ou o próprio Google Search Console.

Apesar do sitemap ser útil para todos os motores de busca, utilizar o Search Console do Google é interessante justamente por essa plataforma ser responsável por mais de 80% das buscas realizadas na internet.

O que o sitemap influencia na estratégia de SEO

A implementação do sitemap significa investimento nas melhores práticas de SEO. Você deixa claro para o Google e outros mecanismos de busca que pretende que está ciente das melhores práticas e pretende colaborar com a varredura do site.

 

Esse trabalho garante que os rastreadores dos motores de busca e consequentemente os potenciais clientes conseguirão encontrar as páginas do seu site. Mais, encontrão as páginas certas para a sua estratégia de marketing.

 

Trata-se de um investimento gratuito e simples que acrescenta muito valor ao seu site. Caso você costume atualizar frequentemente publicações do seu blog ou reutilizar URLs bem ranqueadas, esses benefícios são ainda maiores.

Como melhorar seus resultados

Em termos de otimização, algumas boas práticas podem fazer enorme diferença e melhorar ainda mais os resultados de SEO em relação ao sitemap.

 

Adotar essas práticas irá ajudar a crescer ainda mais seus resultados de SEO com suporte do sitemap. Seu blog, site ou mesmo loja virtual tende a aparecer em posições de pesquisa cada vez melhores:

  • Use URLs canônicas: esse é o melhor endereço possível para página ou o mais utilizado. Por isso, dê preferência a eles na hora de criar os arquivos de sitemap;
  • Não ultrapasse as 10 mil URLs: apesar de o limite de URLs definido seja de 50 mil, é recomendado não superar as 10 mil. Essa margem ajuda a manter a eficiência dos processos de indexação;
  • Divida seu sitemap: crie não apenas um, tenha uma variedade de sitemaps. Ao manter arquivos diferentes para cada categoria, por exemplo, você facilita a identificação de problemas de indexação;
  • Mantenha os protocolos de transferência estáveis: deve-se evitar alterações frequentes no protocolo escolhido (https, por exemplo).

O que fazer depois de criar o sitemap?

Após implementado e ajustado, o gerenciamento é um processo de otimização constante. 

 

Caso você siga corretamente o passo a passo, é provável que não ocorram erros na construção do sitemap. Porém, erros sempre podem acontecer e é interessante trabalhar preventivamente para reduzir essa possibilidade.

 

Ferramentas como o Google Search Console são de grande ajuda nesse processo de busca por erros de sitemap.

Não se deixe intimidar por termos técnicos

Apesar de conter alguns termos mais técnicos, que por vezes podem confundir, todo o processo de criar um sitemap não demora mais que alguns minutos.

 

Fazer um sitemap XML garante enormes ganhos para o SEO do seu site, o que resulta em mais tráfego para o seu site, mais visitantes, vantagem sobre a concorrência e um maior número de clientes no seu funil de vendas.

 

Gostou do conteúdo sobre sitemaps? Conseguiu entender a importância de construir o roteiro do seu site para as ferramentas de buscas?

 

A Chili é uma agência especialista em marketing de performance e atua para identificar, atrair e converter os consumidores com foco em resultados.

Fale pra gente sobre suas experiências! Deixe nos comentários suas experiências usando essa técnica. Será de grande ajuda para outros profissionais.